terça-feira, 27 de maio de 2014

Quem tem orgulho e quem morre de vergonha

Depois do inesperado surto de vergonha que deu na cara Ronaldo Nazário, há muita se perguntando quem é mesmo que está envergonhado com o Brasil atual. Paulo Henrique Amorim, em excelente artigo, faz uma ótima argumentação sobre este fenômeno e vergonha e orgulho de ser brasileiro. Vejamos: Perguntem aos 9,5 milhões de estudantes matriculados no Enem se sentem Orgulho ou Vergonha do País. Perguntem aos milhares de operários da construção civil, crescente a cada dia, se sentem Orgulho ou Vergonha. Perguntem aos milhões de trabalhadores que compraram carro 0 nos últimos anos se sentem Orgulho ou Vergonha. Perguntem aos mais humildes atendidos pelo Mais Médicos se estão sentindo Orgulho ou Vergonha. Perguntem aos jovens formados pelo Pronatec se sentem Orgulho ou Vergonha. Perguntem aos milhares de empregados da Petrobras se sentem Orgulho ou Vergonha. Perguntem aos mais de 50 mil trabalhadores da construção naval se estão Orgulhosos ou envergonhados. Pergunte à dona Luíza Trajano, representante dos grandes empresários brasileiros, se sente Orgulho ou Vergonha do Brasil. Perguntem aos milhares de brasileiros que foram ao feirão da Caixa se estão Orgulhosos ou morrendo de Vergonha ao comprar sua casa própria. Perguntem aos milhões de beneficiados pelo Minha Casa Minha vida se estão sentindo Orgulho ou Vergonha. Agora, pergunte também aos funcionários da Globo se sentem Orgulho ou Vergonha de serem vítimas de irregularidades trabalhistas de seus patrões. Perguntem aos ex-funcionários, recentemente demitidos da Abril, se estão Orgulhosos ou Envergonhados da empresa que trabalhavam. Perguntem aos chefões da mídia se estão orgulhosos ou envergonhados da queda acentuada de sua audiência. Perguntem aos funcionários públicos mineiros se estão orgulhosos ou envergonhados do tratamento dedicado a eles pelo governo do estado. Perguntem ao povo paulistano se sentem Orgulho ou Vergonha de pagar por uma água que não chega em sua torneira. Quem sente vergonha desse país é aquele doutorzinho que não atende os mais humildes e agora tem o Juan, a Margarida, o Pablo para fazê-lo. É a dondoca do trânsito que para seu carro importado no sinal e se enraivece ao ver parando ao seu lado um trabalhador simples com seu Zero quilômetro do lado dela. Sente vergonha do Brasil aquele representante da Big House que pega um avião para Miami e que olha para o lado e lá está o porteiro do prédio vizinho indo fazer as mesmas compras que ele. No Brasil de hoje, ocorreu uma inversão canina curiosa. Nós, cidadãos comuns e trabalhadores, viramos cães de raça. Os mais abastados, transformaram-se em simples vira-latas.

Nota de Fátima Bezerra
Sobre a declaração da vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria, em entrevista à 94 FM nesta terça-feira, 27, onde afirmou que a deputada Fátima Bezerra gostaria de estar no “acordão e só não está porque o PMDB não quis”, cabe esclarecer à população que durante o ano de 2013 o PT tentou sim construir uma frente dos partidos da base de apoio ao governo da presidenta Dilma que não fizessem parte do governo do DEM, coerentemente com o projeto nacional em curso e com a oposição que faz ao governo estadual.

Nota de Fátima Bezerra II
Ocorre que quando o PMDB decidiu incorporar o DEM e o PSDB, o PT comunicou publicamente que não participaria de um palanque com essa configuração. Portanto, não foi o “PMDB que não quis”. Foi o PT que não aceitou, por questão de coerência.

Nota de Fátima Bezerra III
Coerência que faltou a quem critica o governo de forma personalizada em Rosalba e fecha os olhos para o fato de que esse governo foi e continua sendo o governo do DEM e PSDB que não saíram do governo, mas também do PMDB e do PR entre outros partidos continuam ocupando cargos na gestão de Rosalba. Tanto é que as críticas, quando são feitas, são de forma muito superficial e sempre são críticas pessoais à ex-comandante agora abandonada, exatamente porque não tem moral para criticar a gestão da qual são responsáveis diretos.

Nota de Fátima Bezerra IV
Resumindo, estranho é a vice-prefeita aderir a uma coligação da qual o DEM faz parte e achar que pode continuar a fazer críticas pessoais à Rosalba Ciarlini como se o governo fosse obra de uma única pessoa. Estranho e incoerente é ela criticar as áreas do governo que não funcionam sem dizer que os responsáveis pelos desacertos foram indicados do PMDB, do PR, do DEM, do PSDB e de outros partidos, agora aliados dela. Logo ela que já foi governadora e sabe que as responsabilidades de um governo são coletivas. 

Cantoria
Grande cantoria neste sábado na Churrascaria do Clóvis, ao lado da Praça do Abolição IV, às 20h30, com Moacir Laurentino e Lúcio da Silva, tendo participação especial do poeta Antonio Francisco e do cantor Genildo Costa.