quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Dilma e os movimentos sociais

Enquanto grupos articulados única e exclusivamente pelo ódio e a pauta do retrocesso convocam atos públicos para o próximo dia 15, com o intento de pedir o impeachment da presidenta Dilma, outro movimento acontece em defesa do seu mandato e da legalidade. Hoje, em São Paulo, na sede da ONG Barão de Itararé, que articula as mídias sociais, a União Nacional dos Estudantes (UNE) participará do debate “Governo Dilma e os Movimentos Sociais”. A entidade será representada pela presidenta Vic Barros, que estará ao lado de outros convidados de peso, Gilmar Mauro (MST) e Guilherme Boulos (MTST). A discussão abordará as perspectivas da luta social em meio a um conturbado ambiente político no qual o conservadorismo, hegemônico no Congresso Nacional, tem ‘nadado de braçadas’ e ameaçado as conquistas populares dos últimos 12 anos, apesar da vitória eleitoral de Dilma. O evento é aberto ao público e terá transmissão on-line pela Mídia Ninja, com reprodução na página do Barão de Itararé. É o imenso exército dos brasileiros comprometidos com os avanços dos últimos doze anos, começando a se mexer. É bem verdade que o governo Dilma, às voltas com problemas de grande envergadura tem se descuidado de manter uma boa relação com os movimentos sociais, mas a provocação permanente da direita desde quando, no ano passado, sentiu o gostinho da possibilidade de disputar com alguma chance de vitória as eleições presidenciais, está mexendo com os brios de petistas, cutistas, sem terras e sem tetos, estudantes e tantos outros milhares de organizações populares que não aceitam o retrocesso de uma volta dos tucanos ao poder. Dia 15 será um bom teste. Vamos ver qual o tamanho das “multidões” que conseguirão por nas ruas. E aí será a hora da resposta, que com certeza virá “nova, alegre e cheia de paixão”.

Difícil, assim
A própria Folha de S.Paulo, parte importante do PIG que luta pelo impeachment da presidenta Dilma e pela busca inusitada da derrubada de um ex-presidente da República, mandou fazer uma pesquisa e o resultado foi dos mais decepcionantes para os babaquaras que querem defenestrar o PT do poder para promover uma volta ao longínquo passado militar ou ao recente passado tucano, dois regimes que não deixaram nem uma gotinha de saudade nos brasileiros que amam o Brasil e a democracia.

Difícil, assim II
O resultado foi: Lula é o melhor presidente da República do Brasil para 56% dos brasileiros pesquisados. Enquanto FHC é considerado o pior presidente da História do Brasil. Assim fica difícil botar o povo nas ruas para derrubar Dilma.

Mais difícil ainda
Pior para os golpistas é que, como o mandato de Dilma é novinho em folha e está longe de completar seus primeiros dois anos, caso viesse a acontecer qualquer tragédia política com ela, seriam convocadas novas eleições presidenciais. E aí... Advinha quem seria o candidato do PT: ele, Luis Inácio Lula da Silva. Portanto, quem tem juízo sabe que para derrubar Dilma, só com um golpe militar. De modo que cabe a pergunta. Quem, no plano interno e no plano internacional está disposto a arcar com o ônus de um golpe militar nestes tempos BRICs e G-8?