sábado, 21 de fevereiro de 2015

Manifesto: O que está em jogo agora

Cinquenta intelectuais entre os mais importantes do Brasil. Lançaram um manifesto defendendo a Petrobras e a democracia. Muito importante que se leia, para que possamos entender como estão tentando desmontar a Petrobras para entregá-la de bandeja ao capital estrangeiro. Vejamos: A chamada Operação Lava Jato, a partir da apuração de malfeitos na Petrobras, desencadeou um processo político que coloca em risco conquistas da nossa soberania e a própria democracia. Com efeito, há uma campanha para esvaziar a Petrobras, a única das grandes empresas de petróleo a ter reservas e produção continuamente aumentadas. Além disso, vem a proposta de entregar o pré-sal às empresas estrangeiras, restabelecendo o regime de concessão, alterado pelo atual regime de partilha, que dá à Petrobras o monopólio do conhecimento da exploração e produção de petróleo em águas ultraprofundas. Essa situação tem lhe valido a conquista dos principais prêmios em congressos internacionais. Está à vista de todos, a voracidade com que interesses geopolíticos dominantes buscam o controle do petróleo no mundo, inclusive através de intervenções militares. Entre nós, esses interesses parecem encontrar eco em uma certa mídia a eles subserviente e em parlamentares com eles alinhados. Debilitada a Petrobras, âncora do nosso desenvolvimento científico, tecnológico e industrial, serão dizimadas empresas aqui instaladas, responsáveis por mais de 500.000 empregos qualificados, remetendo-nos uma vez mais a uma condição subalterna e colonial. Por outro lado, esses mesmos setores estimulam o desgaste do Governo legitimamente eleito, com vista a abreviar o seu mandato. Para tanto, não hesitam em atropelar o Estado de Direito democrático, ao usarem, com estardalhaço, informações parciais e preliminares do Judiciário, da Polícia Federal, do Ministério Público e da própria mídia, na busca de uma comoção nacional que lhes permita alcançar seus objetivos, antinacionais e antidemocráticos. O Brasil viveu, em 1964, uma experiência da mesma natureza. Custou-nos um longo período de trevas e de arbítrio. Trata-se agora de evitar sua repetição. Conclamamos as forças vivas da Nação a cerrarem fileiras, em uma ampla aliança nacional, acima de interesses partidários ou ideológicos, em torno da democracia e da Petrobras, o nosso principal símbolo de soberania.

Assinam o manifesto
Entre os cinquenta intelectuais que assinam este manifesto, encontramos nomes, como: Cândido Mendes, Claudius Ceccon, Emir Sader, Fabio Konder Comparato, Franklin Martins, Ivone Gebara, João Pedro Stédille, Sepúlveda Pertence, Leonardo Boff, Luiz Pinguelli Rosa, Maria da Conceição Tavares, Marilena Chauí, Samuel Pinheiro Guimarães e Sílvio Tendler.

Listão
A lista do HSBC com evasão de recursos para a Suíça, sem passar pela Tributação, é algo equivalente a dez vezes o montante roubado da Petrobras. O período mais fértil corresponde ao tempo da venda das estatais por Fernando Henrique Cardoso. Não se constatou nenhum petista no super listão. A mídia não dá uma linha. Esta é a imprensa brasileira. Contra o PT, sim.

FotoLegenda
Governador Robinson Faria hoje em nossa residência na Serra do Mel, Vila Amazonas, Casa 8. Mais que nosso aniversário, será a comemoração do centésimo programa A Voz da Serra e um momento de confraternização entre o governador, a senadora Fátima Bezerra, o deputado Fernando Mineiro, o deputado Souza, o deputado Betinho Segundo com o povo serrano que ajudou a elegê-los. Conhecerão mais de perto os problemas do município e assumirão os compromissos possíveis de realizar.