terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Sobre promessas e compromissos

Alguns amigos, adversários ou até inimigos que estão cobrando, em nome da população serrana, soluções imediatíssimas, ações em “rito sumaríssimo” do governador Robinson Faria, da senadora Fátima e dos deputados Fernando Mineiro e Souza Neto, para os muitos problemas da Serra do Mel, tenho a esclarecer o caráter do evento que aconteceu domingo passado em minha residência na casa 8 da vila Amazonas, com presença de lideranças e ouvintes do programa A Voz da Serra, de todas as vilas do município. Era o meu 59.º aniversário, mas eu jamais tiraria tantas celebridades do justo descanso domingueiro na capital, onde as autoridades precisam recarregar as baterias para enfrentar o batente na segunda-feira, só pelo meu aniversário. Comemoramos domingo, também, também, e, principalmente, a centésima edição do programa A Voz da Serra, que começamos há pouco mais de dois anos na Rádio Difusora de Mossoró (1.170kHz). Inclusive, arriscando a própria vida, pois ele nasceu para ocupar o vácuo deixado pelo jornal O Serrano, do blogueiro Edinaldo Filgueira, assassinado exatamente porque estava divulgando os fatos condenáveis das autoridades serranas. Fatos que ora divulgamos até com mais evidência, pois a abrangência do programa é maior que a do jornal, que Edinaldo editava com um sacrifício heroico, a ponto de tornar-se mártir da liberdade de expressão. Fomos vítimas de três escaramuças, arremedos de tocaias que não se materializaram porque viram que não estávamos dormindo de toca. O programa continuou e hoje temos muito o que comemorar. A prova é que mais de mil ouvintes foram à nossa casa domingo passado abraçar os apresentadores e os visitantes, a família Difusora, patrocinadores, o governador, a senadora, os deputados e secretários. Pessoas que falam nas redes sociais ou em quaisquer outros meios de comunicação têm razão de querer ver soluções reais e urgentes. É isso que nós, em primeiro lugar, nós, que promovemos o evento, queremos. Li, vi e ouvi pessoas falando em políticos “Copa do Mundo” fazendo promessas em Serra do Mel domingo passado. Mas isto nem de longe, corresponde à realidade dos fatos, pois o governador Robinson não fez promessa nenhuma à Serra do Mel. Nem domingo, nem durante a campanha, quando sequer esteve em Serra do Mel. E esse foi um dos principais motivos de ter tido tantos votos lá, pois o seu adversário tinha prometido coisas demais, como, por exemplo, um poço profundo, no valor de três milhões de reais, que seria perfurado e instalado em apenas quinze dias... E mais de quinze meses depois, necas, como diria o grande “Seu Mané”. O senador Garibaldi tinha respondido ao seu candidato a prefeito em eleição passada que ia ver a possibilidade de instalar uma agência da Previdência Social, uma balela, tendo-se em conta o porte do município e a proximidade de Mossoró e Areia Branca, onde os serranos resolvem sem problemas, seus problemas previdenciários. José Agripino, o homem do “Show do Milhão” e do “Rabo de Palha”, o pior de todos os governadores de toda a história de Serra do mel, perdendo apenas para seu pai Tarcísio Maia o “Carrasco da Serra”, prometeu que não iria deixar morrer nenhum cajueiro em Serra do Mel e depois da suas promessas, morreram mais de um milhão de pés... Quanto ao governador Robinson Faria, senadora Fátima Bezerra e deputados estaduais Fernando Mineiro e Souza, afirmo que estão quebrando o paradigma do político “Copa do Mundo”, que só aparece de quatro em quatro anos. Esses quatro foram eleitos em outubro, tomaram posse em janeiro e fevereiro e ainda em fevereiro estão vindo à Serra do Mel agradecer os votos e reafirmar os compromissos de campanha. A Serra do Mel votou espontaneamente nos quatro, não teve os votos vendidos e agora está tendo moral para cobrar compromissos. De maneira diplomática e politizada. Sem agressões, mas com um estudo profundo dos problemas e o prestígio de quem votou consciente e conscientemente cobra a responsabilidade dos eleitos.

Devagar com o andor...
Cobrar a solução do problema da água, um trauma que se arrasta há quarenta anos em Serra do Mel, às 6:40 da manhã de segunda-feira, antes de começar o expediente na Governadoria e na Caern, é um excesso de boa vontade. E vale salientar que o governador não prometeu resolver o problema na segunda-feira. 

Compromisso não é promessa
Comprometeu-se de chamar o diretor da Caern no dia seguinte e determinar um estudo profundo sobre a problemática da sede em Serra do Mel, onde falta água nas casas e a água é derramada em vários poços, inclusive quatro deles, com capacidade para mais de cem mil litros por hora, além de duas adutoras e outras alternativas.

Perseverança não é pressa
A Serra do Mel tem pressa, mas tem consciência de que não elegeu um mágico nem um milagreiro, mas sim um governador que pegou um Estado com grandes dificuldades, o que a Serra quer de Robinson é determinação compromisso, atenção e foco e não milagres. Sabemos que o governador tem uma caneta e não uma varinha de condão.

FotoLegenda
Manuel Cândido recuperou seus direitos políticos usurpados numa das maiores injustiças já cometidas pela Justiça Eleitoral. Será o candidato do PT a prefeito da Serra do Mel na próxima eleição. Devo transferir meu título para a Serra do Mel para poder votar nele, já que não pude na eleição passada quando ele ganhou e a Justiça injustamente tomou a Prefeitura das mãos limpas dele e do povo serrano. Quem pensar em me jogar contra Manuel Cândido, perde tempo do mesmo jeito dos que tentam afastar Lula da presidenta Dilma Rousseff.