quarta-feira, 17 de setembro de 2014

“Alve-se” quem puder

Salvo algum tsunami ou uma nova erupção do vulcão extinto do Pico do Cabugi, a eleição de senador está com o quadro configurado, com favoritismo claro para Fátima Bezerra. É evidente que Vilma de Faria foi abandonada pela família Alves. E ela, dizem os bastidores, estaria furiosa porque tinha um favoritismo desenfreado para uma candidatura ao Governo do Estado e foi convencida a retirar essa candidatura em função do sonho de chegar ao Senado. Henrique mesmo andou dizendo por onde andou que não admitia um prefeito do PMDB apoiá-lo sem casar esse voto com o de Vilma, que generosamente lhe deu a chance de realizar seu sonho de candidatura a governador. Quer dizer, Vilma abriu mão do seu sonho senatorial para viabilizar o sonho governamental de Henrique. Mas o que se viu foi uma debandada de prefeitos peemedebistas em busca do nome de Fátima Bezerra. Em Angicos, base do aluizismo, Fátima está dando três por um em Vilma. E lá, Henrique está na frente de Robinson. Como se não bastasse, depois que Eduardo campos morreu, a principal fonte de recursos para a campanha de Vilma secou, pois doação post-mortem só aconteceu para Marina da Silva, cuja nova política não é deste mundo... Pois bem. Secou a fonte nacional e os compromissos “reais” de Henrique não vêm se realizando. O problema é que Henrique jogou Vilma para baixo e ela, em queda, agora o arrasta para a derrota. As pesquisas mostram um Henrique estacionado, se equilibrando na corda bamba da margem de erro. E o furacão Vilma, que o alavancaria em casadinha na Grande Natal, deu chabu e o puxa para baixo. Vilma já sabe o sabor amargo e Henrique começa a experimentar o travo do slogan popular que caracteriza a falta de solidariedade da sua família. A frase lapidar: “Alve-se quem puder”.

Interesse repentino
Henrique Eduardo Alves tem 44 anos como deputado federal. A Uern tem 46 anos de existência. Pela primeira vez ele visitou a nossa universidade ontem. Estranho o repentino interesse. Mas... Melhor do diabo de nada. Pior mesmo só aquela esposa de senador que dizem ter se formado numa universidade sem nunca ter ido lá... Ou cá.

Bode na sala
A oposição fez um grande esforço para botar o bode na sala. Criou a CPI da Petrobras e fez um esforço sobre-humano para levar Paulo Roberto Costa, o homem-bomba da Petrobras, para depor no Congresso Nacional. Agora estão todos assustados. Apoiadores de Marina e Aécio estão bem mais assustados que os que fazem a candidatura Dilma.

Luciana Genro
A presidenciável do PSOL, Luciana Genro, reduziu a pó o tucano Aécio Neves. Ela disse o que estava entalado na garganta de milhões de brasileiros, com especialidade, mineiros. Desmoralizou Aécio com seu discurso hipócrita de seriedade e ética, quando faz parte do partido que tem o maior número de políticos condenados por corrupção.

Horário Eleitoral II
Assistindo ontem à sessão da CPMI da Petrobras ao vivo na TV Senado, lembrei-me das sessões ao vivo do Supremo Tribunal Federal nos julgamentos do Mensalão do PT em 2010 e 2012, compondo um segundo horário eleitoral gratuito, às vésperas do pleito Dilma x Serra e no outro Serra x Haddad. E haja peia no PT. Só que o PT ganhou as duas eleições. Tica para frente.

Calado
Carlos Augusto Rosado está caladíssimo. E aí que reside o perigo, porque quieto ele não está.

Imbróglio
Depois da determinação da volta de Leonardo à Prefeitura de Ipanguaçu passando por cima de eleição suplementar, com o anúncio imediato de apoio do prefeito petista a Henrique e ato contínuo a declaração de apoio de Cláudia Regina a Henrique, tem muita gente tremendo mais do que vara verde em Mossoró. Não me perguntem nada sobre tudo isso. Só sei que de nada sei... Mas desconfio de muita coisa.