sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Aumentar os impostos dos ricos para investir em educação pública

Crítico-sensação do capitalismo, Thomas Piketty é autor do polêmico best-seller O Capital no Século XXI, pela Editora Intrínseca em que defende, a partir da análise de dados inéditos de 20 países, que a desigualdade de renda estaria voltando a aumentar no mundo após décadas em queda. Ele diz que o próximo passo de seu projeto é estudar países emergentes, entre eles o Brasil, e defende que a desigualdade é um dos fatores que inibe o crescimento brasileiro. "Se o Brasil quiser crescer no século 21 precisa garantir que amplos grupos da população tenham acesso à educação de qualidade, qualificação e trabalhos que pagam bem". Acrescente que há uma série de políticas que contribuem para isso. Investir em educação e em instituições sociais, implementar um sistema de impostos progressivo, em que os ricos pagam mais que os pobres, criar boas políticas para o mercado de trabalho e aumentar o salário mínimo – algo que no Brasil foi importante nos últimos 10, 15 anos. Todas essas políticas são complementares. Não dá para escolher. Se você só aumenta o salário mínimo, mas não aumenta a qualificação do trabalhador e sua produtividade terá problemas para sustentar isso com o tempo. O investimento em educação, e, em especial na educação pública, é absolutamente essencial para se reduzir a desigualdade. E a taxação progressiva de rendas altas e grandes heranças pode ser uma forma de obter recursos para investir no sistema de educação pública. É claro que é mais fácil taxar os pobres que os ricos. Talvez por isso em muitos países você tenha esse monte de impostos indiretos – como é o caso do Brasil. Mas provavelmente, a falta de progressividade no sistema de impostos é uma das razões pelas quais a desigualdade é tão grande no Brasil. A alíquota máxima do imposto de renda – algo em torno de 27%, 30% - é pequena para padrões internacionais. E é aplicada a partir de salários muito baixos. Seria possível ter impostos mais altos para quem ganha R$500 mil, R$1 milhão, R$5 milhões e por aí vai.

No twitter
De Alzira Lopes, minha seguidora no twitter: Me explica como alguém que diz 'defender a Petrobras' comemora quando as ações da empresa caem ...

Decadentes
Quando vir um artista detonando o PT, desconfie. Virou moda para artista decadente, falar mal do PT para ser visto de forma simpática pela mídia e pela gravadora da Globo. Mudou muito. Antigamente artista que falava mal do governo ficava mal visto na mídia, agora vira herói.

Crise. Nem tanto...
Os gastos dos turistas estrangeiros no Brasil batem recorde em 2014. Os visitantes deixaram aqui US$ 6,9 bilhões, segundo o Banco Central.

FotoLegenda

A internet está cada vez melhor.
Questiona tudo e desmascara muita coisa.