quinta-feira, 20 de agosto de 2015

DesaCUNHA...

Rodrigo Janot, procurador geral da República, apresentou na última quarta-feira, 19, ao STF, denúncia contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, do PMDB, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no âmbito das investigações da Operação Lava Jato; A base da denúncia são as acusações do empresário Júlio Camargo, que confessou ter pago propina de 5 milhões de dólares para Cunha, para ele facilitar contratos de navios-sonda entre a Samsung e a Petrobras; Como se não bastasse essa traulitada, o ex- traidor e agora opositor declarado do governo sofreu outra derrota nesta quarta, quando o ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no STF, negou seu pedido para retirar da Justiça Federal do Paraná a ação penal sobre irregularidades na contratação de navios-sonda pela Petrobras. Cunha foi denunciado pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção praticados dentro do esquema da Lava Jato. A denúncia ainda precisa ser aceita pelo STF para que o parlamentar seja considerado réu no processo. Janot pede a condenação de Cunha pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro e da ex-deputada federal Solange Almeida, atual prefeita de Rio Bonito (RJ), por ter participado de pressão pelo pagamento de valores retidos, incorrendo em corrupção passiva. De acordo com o idealizador da Lei da Ficha Limpa e coordenador do MCCE - Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral, juiz Márlon Reis, o STF pode afastar Eduardo Cunha de ofício, com a aplicação do artigo 86 da Constituição. O referido artigo, combinado ao parágrafo 1º, inciso 1º, define que o presidente da República “ficará suspenso de suas funções nas infrações penais comuns, se recebida a denúncia ou queixa-crime pelo Supremo Tribunal Federal”. Para Márlon, isso se aplica diretamente àqueles que estão na linha de sucessão da presidente da República. Todos que fazem parte deste linha, que são o vice-presidente e o presidente da Câmara federal precisam absolutamente livres de quaisquer processos, pois imagine-se o trauma de apear do poder o chefe a nação e poucos dias depois ter que repetir o processo com o seu substituto.

Ondas da Leitura
Ontem o Teatro Dix-huit Rosado abrigou um belo ato. A entrega da mochilas com li-vros do projeto nas Ondas da Leitura, parceria da Secretaria Municipal de Educação com a Editora IMEPH, de Fortaleza. Presentes o prefeito Silveira Júnior e a secretária Ieda Freitas. De parte da editora IMEPH, o poeta Antônio Francisco, autor de alguns dos livros adotados, a coordenadora pedagógica e escritora Amélia Albuquerque e a escritora Salizete Freire. Mais de setecentos alunos e cerca de cem  professores lotaram o teatro, assistindo atrações artísticas e ouvindo as explicações sobre o projeto, além de receber os kits de leitura.

Matemática
Há uma grande dúvida de muita gente boa sobre se nos concursos das polícias existe algum questionário sobre Matemática. É muito estranho o jeito de contar o povo nas manifestações. Quando se trata de manifestação contra o PT, quando os organizadores dizem que deu mil pessoas, a polícia diz que tinha dez mil, mas quando se trata de atos em favor do PT, quando os organizadores dizem que deu dez mil pessoas, a polícia só consegue ver mil.