terça-feira, 15 de setembro de 2015

Cortando na carne alheia...

A direita quer que Dilma corte aí por volta de uns 30% dos investimentos importantíssimos de obras estruturantes, embora depois fiquem a reclamar da falta de infraestrutura; A mídia golpista, fazendo coro a essa raça de víboras quer que não seja concedido nenhum direito trabalhista aos servidores federais e que, em efeito cascata, também não sejam concedidos direitos aos servidores municipais e estaduais; As “zelites” querem que Dilma corte no mínimo 30% no orçamento dos programas sociais que eles chamam de Bolsa Esmola e Bolsa vagabundo, quando não dizem coisas piores e mais humilhantes; A oposição cínica que tanto aumentou pastas no primeiro escalão agora acusa Lula e Dilma de inflacionar o ministério. Basta lembrar que a dupla Tancredo o avô de Aécio, ora no PSDB e Sarney do mesmo PMDB de Tancredo, de Cunha e Renan, pulou de 16 para 34 ministérios. E lembrar também que quem mais extingiu ministérios na História do Brasil foi Fernando Collor de Melo, que reduziu de 34 para 17, mas foi o pior governo desde a ditadura, chegando ao extremo de ser expulso do poder, por força de impeachment. Mas Dilma vai ceder à falácia de que isto resolve o problema das gorduras na máquina estatal da mesma forma que Garibaldi Alves acabou dez empresas estatais no Rio Grande do Norte e ainda vendeu a COSERN e a situação não melhorou em absolutamente nada. Dilma está disposta a acabar dez ministérios e cortar mil cargos de confiança. Nisso, até que tudo bem, pois acho que quem tem que trabalhar é servidor de carreira, desde que bem remunerado. Os paneleiros comedores de caviar espumam no canto da boca quando determinam que corte-se o Bolsa-Família mesmo que não queiram milhões de meninos batendo às suas portas para pedir esmolas, até o dia que ficam grandinhos e passam a bater para entrar à força; Querem que corte-se os subsídios dos Fundos Constitucionais de Desenvolvimento do Nordeste, do Norte e do Centro-Oeste que tanto têm contribuído para que as massas sobrantes sejam bem menores e inchem muito menos São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília; Querem que corte os benefícios do PRONAF, o programa de apoio à agricultura familiar que gera milhões de empregos sem empanturrar o mercado, evita o êxodo rural e enche as mesas das cidades evitando que além da inflação do tomate tenha também a do feijão, a da farinha, a do frango e a inflação da jabuticaba, que como o termo saudade é coisa específica do Brasil. Só não querem que cortem 0,2% dos seus cheques milionários. Um imposto financeiramente insignificante para cada um, mas que pode ser uma poderosa injeção na solução dos problemas da saúde que a mídia mostra espremendo sangue em páginas de jornais e em telas de TV, todos os dias. CPMF que foi criada e alimentada durante todo o governo de Fernando Henrique Cardoso, do PSDB e do DEM. São 20 centavos de cada nota azul de cem reais. Mas, como diriam os que protestaram em 2013, “Não é pelos 20 centavos”; é, como disse um cartaz coxinha de 2015, por entender que “sonegar é legítima defesa".  Depois não reclamem quando bandidos estiverem reivindicando o direito de assaltar, matar, traficar e estuprar... Pois todos estes são crimes, tal qual a sonegação, é a “defesa” de quem é useiro e vezeiro na “arte” de sonegar. E aqui o termo defesa vai no sentido mais escrachado da gíria do malandro. 

Pasta básica
A Polícia Federal prendeu ontem, em Mossoró um rapaz de 27 anos que conduzia num ônibus Natal-Belém, dois quilos de pasta base de cocaína. Pela lógica atual não precisa elogio porque a PF cumpriu a sua obrigação. Mas eu elogio e vibro com a ação. Conseguisse fazer isso todo dia e o Brasil seria bem melhor. Mas o que admira mesmo não é este corretíssimo e importantíssimo de prender um traficante que leva dois quilos de pasta de coca. O que admira mesmo é que nunca tenham prendido o dono do helicóptero que levava 450 quilos de pasta de cocaína. O dono do helicóptero era um deputado filho de um senador de Minas Gerais, a família Perrela, ambos mui amigos de Aécio Neves, que, por sinal também é acusado por um policial de Minas, de ser ligado ao tráfico de drogas.

Auxílio-Moradia
A direita todinha, PSdemB, PIG e capital rentista vibra com os cortes no orçamento do Minha Casa Minha Vida, mas não dá um pio contra o auxílio-paletó nem auxílio-moradia de juízes e outros servidores muito bem pagos que podem, à farta, pagar suas vestes e moradias. Como todos têm rabo preso na Justiça não movem uma palha no sentido de se cortar bilhões em privilégios dos setores que mais deveriam dar exemplo de honestidade e austeridade.

Máfia tucana no ICMS
A Máfia do ICMS no estado de São Paulo fez com que a multinacional Prysmian, líder mundial em cabos e sistemas de energia, fechasse sua unidade em Jacareí, no Vale do Paraíba, em 2009. A decisão de mudar a fábrica para Joinville, em Santa Catarina, foi motivada por duas extorsões feitas por fiscais. Com o sucesso da empreitada, os fiscais repetiram o procedimento em unidades da empresa em Sorocaba e Santo André. A brincadeira custou 17 milhões. A empresa resolveu se mudar.