sábado, 8 de novembro de 2014

E agora? Até O Globo defende o empréstimo brasileiro para o Porto de Cuba

Não é novidade em eleições, esconderem a verdade sobre fatos e pessoas para prejudicar as candidaturas do PT. Passadas as eleições a verdade vem à tona. Agora mesmo absolveram de acusações um deputado petista no Rio Grande do Sul, que foi tema da campanha do peemedebista ganhador. Até o depoimento do doleiro Yusseff foi suspenso logo que terminou a eleição. Quem não lembra Erenice Guerra na eleição de 2010. Capa de todas as revistas semanais e jornalões do PIG. Passada a eleição, foi inocentada. Humberto Costa, que hoje é senador, perdeu o governo de Pernambuco por um escândalo do seu tempo como ministro da Saúde. Depois da eleição foi absolvido por 14 X 0. Agora é o Porto de Cuba. A besta-fera trajada de Satanás antes da eleição, agora até o jornal O Globo defende. Se bem que um diretor da FIESP já defendia no yutube. Mas ninguém queria nem olhar. Ai de quem defendesse o empréstimo, ai de quem dissesse que quem primeiro emprestou dinheiro para Cuba foi o governo FHC. Mas, Vejamos o que diz o Globo:
É de se estranhar que o Brasil tenha se envolvido tão fortemente na modernização e ampliação do Porto Mariel, em Cuba. Com uma economia socialista, o que o Brasil tem a fazer lá, em um ambiente ainda de embargo econômico por parte dos Estados Unidos? Neste caso, o interesse estratégico do país pesou mais, à parte simpatias ideológicas, e não só de médio e longo prazos: a reconstrução do porto se tornou boa oportunidade de negócio para empresas brasileiras. Cuba não conta com variedade significante de matérias-primas e nem é um país industrializado. Mas tem uma posição geográfica privilegiada que, no futuro, será de grande importância. Mariel é o porto caribenho mais próximo da Flórida e se encontra a apenas 45 quilômetros de Havana, capital de Cuba, que concentra mais de 20% da população do país. O investimento no porto é de quase US$ 1 bilhão e só faz sentido porque em torno dele surgirá uma zona econômica especial, voltada basicamente para exportações. Mariel é um caminho para que empresas brasileiras se instalem nessa zona econômica especial e processem produtos destinados a esses mercados, especialmente os de alta tecnologia, que utilizarão muitos insumos inexistentes em Cuba. A proximidade com o novo Canal do Panamá também é um fator a se considerar, para chegada aos mercados situados no Pacífico. As obras no porto são basicamente financiadas pelo BNDES. Do orçamento inicial de US$ 957 milhões, US$ 802 milhões foram financiados pelo Brasil. No entanto, desse valor, o equivalente a US$ 800 milhões foram gastos na contratação de serviços e de equipamentos produzidos no Brasil, o que gerou cerca de 20 mil empregos no Brasil, sem contar com os postos de trabalho criados em Cuba. O porto responde pela maior parte do total de financiamentos, US$ 1,6 bilhão concedidos pelo Brasil a Cuba. A pergunta é se não há risco de calote. Mesmo com todos seus problemas, Cuba permanece em dia com o Brasil, e no caso específico de Mariel, houve a preocupação de vincular os pagamentos diretamente às receitas obtidas pelo porto.
Palavra do jornal O Globo e não da Secretaria de Comunicação do Palácio do Planalto.

Rosalba
A quem me pergunta se acho que a governadora Rosalba Ciarlini, que ficará sem mandato em 1º. de janeiro, sairá do DEM. Respondo que tenho certeza. Sobre se ela vai para um partido da base aliada, respondo que acredito que sim, pois creio que já recebeu convite para integrar a nova sigla a ser criada por Sid Gomes. E sobre se ela será candidata a prefeito de Mossoró em 2016. Também respondo que acho que sim. E se será uma candidata forte, respondo que não tenho dúvidas disso.

Assembleia
Robinson Faria elegeu oito deputados da sua aliança. Semana passada já tinha 14. Desconfio que na posse, já terá uns vinte.

E sobre o PMDB?
Acho que não vai conseguir botar a faca na garganta da presidenta Dilma. Ela sabe que se o PMDB estiver no governo, metade estará traindo. Se estiver rompido, metade será facilmente cooptada. Então, se é pra ter a metade do partido de qualquer jeito. Melhor deixar romper.

“Encontro de Autores com Alunos"
Lucinda Marques, diretora da editora IMEPH encontra-se em Mossoró acompanhando os últimos preparativos para o “Encontro de Autores com Alunos”, que se realizará amanhã no Teatro Municipal Dix-huit Rosado em três sessões, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Mossoró, envolvendo cerca de dois mil alunos dos sextos e sétimos anos da Rede Municipal de Mossoró, contemplando mais de vinte escolas da cidade e da zona rural. Autores como o poeta Antonio Francisco, a pedagoga Amélia Albuquerque, a própria Lucinda Marques, o juiz federal e poeta Marcos Mayrton e o compositor e professor de Música João Collares estarão autografando livros para os alunos, falando das suas obras e apresentando um espetáculo artístico-cultural que contará o reforço de artistas e grupos musicais de Mossoró e região, como A banda da Escola de Música de Mossoró, Os Meninos & os Violões, sob a batuta do professor Guido, o cantor e compositor Genildo Costa, a atriz Tony Silva, os poetas Concriz e José Ribamar, o cantor Zelito Coringa, o regional de Forró de Cláudio sanfoneiro e a Orquestra Sanfônica do SESC de Assú, e um grupo teatral da escola senador Duarte Filho, com a peça “O Chapéu que mamãe fez”, integrante do Projeto MAIS CULTURA NAS ESCOLAS.