terça-feira, 4 de novembro de 2014

EUA realizaram ontem 146 consultas públicas. Isto é bolivarianismo

Adireita brasileira está eufórica por mais uma “Vitória de Pirro”. A estúpida derrubada do Decreto da presidenta Dilma permitindo mais participação popular. Como sempre, o desejo de derrotar o governo a qualquer custo e, mais do que isto, o interesse ditatorial e elitista de deixar o povo de fora das decisões. O livro “Os Bestializados”, de José Murilo de Carvalho, parte da frase do cronista da proclamação da república Aristides Lobo ao dizer que o “o povo assistiu àquilo bestializado”. É assim que Henrique Eduardo Alves, a banda podre do PMDB, o PSDB e o DEM querem o povo brasileiro. Bestializado diante das decisões tomadas pela cúpula. Alegaram, de maneira leviana e cretina, que o decreto tomava poderes do parlamento para dar-lhos ao povo. Pura hipocrisia. O poder emana do povo, portanto, nada melhor que ouvir este povo. Direita e parlamentares conservadores atacam a democracia participativa, falando que o decreto instauraria o bolivarianismo no Brasil. Uma desonesta tentativa de desqualificar os movimentos sociais e a participação social que vêm sendo implementada no Brasil. A direita entende, mas não aceita que na democracia, quanto mais participação do povo, melhor. Na Suíça a democracia direta é famosa nos seus Cantões. É assim também nos Estados Unidos, plebiscitos e referendos. Os eleitores que foram às urnas ontem nos States decidiram sobre a reforma da política sobre o uso de drogas, além de procedimentos legais de aborto. Constatou-se nos Estados Unidos, até agora, somente neste ano, o número recorde de 146 consultas públicas em 42 estados. Longe de se tornar uma ditadura bolivariana, os Estados Unidos fazem uso dos conselhos populares para decisões em 24 estados da nação. É assim também nas outras grandes democracias consolidadas ao redor do mundo, como é o caso dos plebiscitos na Suécia, ou dos referendos canadenses. Enquanto isso, no Brasil, que também já passou por importantes momentos de participação social, sendo exemplo mundial, setores da mídia e da oposição ainda se utilizam do antigo discurso da polarização política para evitar a participação do povo nas decisões políticas do país. Sob a eterna ameaça do "golpe comunista" que nunca chegou, a direita se aproxima das vertentes mais reacionárias dos discursos políticos, inflamadas em xenofobia, preconceito e má-informação. São os que não querem a participação popular em instâncias democráticas de decisão que estão indo às ruas pedindo “Intervenção Militar Já”. E estes retardados históricos têm o apoio dos cafajestes que, revestidos de mandatos populares no parlamento, investem contra a participação popular.

Às armas, petistas
Após crescentes manifestações pedindo o impeachment da presidente reeleita Dilma Rousseff, o PT começou a convocar seus militantes para irem "às armas" ajudando a combater esses protestos. O PT pede que seus militantes compartilhem informações nas redes sociais usando como "armas" o computador e aparelhos móveis. Segundo o texto: "A vitória de Dilma Rousseff revelou o desespero de setores que insistem em ignorar a vontade da população demonstrada nas urnas". "Representantes do atraso, verdadeiros fantasmas do passado, eles tentam criar um terceiro turno da disputa eleitoral ao suscitarem sandices como intervenção militar e até o impeachment da presidenta", continua a nota.

As armas dos petistas
As armas que o partido incentiva seus militantes a usar, são o tweeter, o facebook, o e-mail, o panfleto, o carro de som e o megafone.

Ladrão tucano
Luís Fernando da Silva, no tweeter, traz a informação: Mais um ladrão do PSDB foi desmascarado e perdeu o cargo. Foi o prefeito de Taubaté – SP. O ladrão Ortiz Júnior do PSDB. O pulha e seu vice, Oliveira, do PTB, foram cassados neste exato momento pelo TRE-SP, propinas e desvio de dinheiro para campanha do prefeito. E o pai estava envolvido, o Ortizão. É isso aí. Mais um tucano pagando pelos seus crimes!! É um alento já que tucanos roubam à vontade e a Justiça só tem olhos para os outros!