sábado, 4 de julho de 2015

Governador do Estado de Nova Iorque quer aumentar maioridade penal de 16 para 18 anos

Mais uma prova de que o Brasil, sob Cunha, Aécio, Bolsonaro e Malafaia, os quatro cavaleiros do Apocalipse, está marchando na contramão da História da civilização, vem agora dos Estados Unidos, País sempre citado por eles como argumento para suas teses furadas. Semana atrasada os Estados Unidos desmoralizaram as teses contrárias à união de pessoas do mesmo sexo. O império ianque comemorou com muita festa e pompa o aqui tão criticado “Casamento Gay”. Agora, outra pancada vem de lá contra a redução da maioridade penal aprovada através de manobra antirregimental na Câmara dos Deputados. É que o governador de Nova York, Andrew Cuomo, enviou projeto de lei ao legislativo visando aumentar, atentem bem “aumentar” a maioridade penal no Estado, de 16 para 18 anos. Como querem os Cunhas e Bolsonaros da vida, em Nova York, os menores que cometem delitos ficam detidos juntamente com adultos na cadeia enquanto aguardam julgamento e, se condenados, passam a fazer parte da população carcerária adulta. O governador de lá constatou que esse modelo é desastroso: “Cidadãos de 16 e 17 anos são encaminhados a cadeias estaduais e isso, acredito, é uma situação intolerável. Por ação executiva, vamos tirar cidadãos de 16 e 17 anos das cadeias estaduais e botá-los em casas de correção separadas que serão projetadas e gerenciadas pelo Departamento de Correções”, disse o governador na última segunda-feira. Ao contrário do que dizem os defensores da redução da maioridade Penal no Brasil, usando sempre os Estados Unidos como exemplo, apenas dois estados entre os 40 de lá, Nova Iorque e Carolina do Norte, processam jovens de 16 e 17 anos como adultos. Na projeto de Cuomo, a maioria dos delitos cometidos por menores, seria tratada como ofensa juvenil, e todos teriam acesso a serviços de reabilitação.

Sentindo na pele
A Rede Globo, cujo diretor, Ali Kamel, publicou um livro intitulado “Não somos Racistas” vem sentindo “na pele” uma forte carga de preconceito racista contra sua repórter que faz o quadro da previsão do tempo, Maria Júlia Coutinho, conhecida como Maju Coutinho. Isto faz parte do veneno que a própria Globo tem soltado no ar, nos últimos anos. Quem já viu negros em quantidade significativa, na plateia do Faustão?

Segurança
Parte das providências cabíveis no caso da agressão verbal à presidenta Dilma em uma universidade dos Estados Unidos estão sendo tomadas. É a parte que diz respeito à punição do gabinete responsável pela segurança pessoal da presidenta, que falhou e falhou de maneira vergonhosa. 

Segurança II
O vagabundo que chegou perto da presidenta para agredi-la em um país estrangeiro, alcançou uma distância de onde poderia ter arremessado um objeto capaz de feri-la. E, mais grave ainda, se estivesse portando arma de fogo, e isto seria plenamente possível, pois a segurança não observou o perigo que ele representava, poderia ter feito um disparo à queima-roupa e assassinado a presidenta da República do Brasil em solo estrangeiro. É o que esperam? Uma tragédia, para começar a tomar providências mais compatíveis com o grave fato acontecido? O general responsável pelo gabinete de segurança já está sendo exonerado. A outra providência é meter no xilindró o canalha que praticou o crime. Ou não, só porque ele não é pobre nem preto?

FotoLegenda
A proximidade de 2016 já começa a assanhar as pretensões eleitorais de vários movimentos sociais, para além dos projetos individuais, que são muitos. No PT, nomes como Ugmar Nogueira, Isolda Dantas, Gilberto Diógenes, Assis da Fecam, Rogenildo, o próprio Luiz Carlos, no caso de não repetir a posição de vice, Rômulo Arnaud, Gilberto Pedro e Max Medeiros, além de outros, estão sendo lembrados nas conversas para candidaturas capazes de somar o suficiente para o PT sozinho, sem coligação na chapa proporcional, fazer votos suficientes para duas vagas dobrando o somatório de um coeficiente eleitoral ou fazendo um coeficiente mais uma sobra gorda capaz de garantir a segunda vaga. Pelo menos uns dez movimentos sociais defendem o nome de Max Medeiros, que lidera o vitorioso Movimento Pau de Arara pelos transportes coletivos. Max também tem diálogo e inserções no movimento estudantil, em vários setores do movimento artístico-cultural, nos vários movimentos de juventude e nas bandeiras mais avançadas da esquerda, no que se refere à luta contra a homofobia, o racismo, a violência contra jovens e contra a agressão aos Direitos Humanos em geral. Com todo o respeito que tenho pelos outros nomes, vejo em Max Medeiros uma boa oportunidade de oxigenação na nominata do PT, agregando sangue novo e dinamismo.