quarta-feira, 1 de julho de 2015

Mossoró é a 15ª cidade do País em assassinato de jovens

Mossoró tem discutido a paz, tem gritado contra a violência, com atos de rua e protestos na imprensa quanto à mortandade que vem acontecendo no município. São mais de mil assassinatos desde os últimos seis anos. Estupidamente, falam contra os jovens, como se fossem eles os responsáveis por toda a violência da cidade e do País, quando em verdade os números mostram que os jovens são responsáveis por pouco mais de 1% dos assassinatos do Brasil, enquanto mais de 40% dos assassinados são jovens. Em Mossoró, dos mil assassinados nos últimos seis anos, pelo menos uns setecentos eram jovens e adolescentes. As bocas de fumo estão por todos os lados. E todo mundo sabe onde elas estão, especialmente a polícia. Sabe-se também que os jovens e adolescentes são levados ao vício a partir de um processo planejado de envolvimento, que se transforma em dependência e acaba jogando estes jovens e adolescentes no crime, até que chega ao ponto de descambar para um dos dois caminhos naturais do crime, que são a cadeia e o cemitério. Agora, estamos aí ocupando o décimo quinto lugar do Brasil, em assassinatos de jovens. Enquanto isso, desconhecemos informações de algum traficante de drogas, preso. Se existe algum, deve ser a ponta do rabo do esquema. Algum aviãozinho que se descuidou ou que não pode pagar propina a quem oferece proteção aos senhores da morte. Enquanto o Brasil rejeita a redução da maioridade penal, por entender, com provas, que isso não serve à redução da violência e da criminalidade, Mossoró recebe uma taça de décimo quinto lugar em assassinato de jovens. Uma taça de sangue que todos nós somos obrigados a sorver

Contradições
Não é à toa que o Brasil é conhecido como a pátria das contradições. Temos uma das maiores cargas tributárias do mundo, ao mesmo tempo que temos a maior sonegação de impostos do planeta. Tem empresário que consegue ser, ao mesmo tempo, um dos maiores sonegadores e um dos maiores pagadores de impostos. Vá entender. 

Contradições II
Conhecido como o país da impunidade, o Brasil é também o país com maior população carcerária proporcional ao número de habitantes. Em números absolutos, temos a quarta população carcerária do planeta. 

Aids e sífilis
Cuba é o primeiro país a eliminar transmissão de HIV de mãe para filho. A Ilha comunista recebeu na última terça-feira, 30, a validação da Organização Mundial da Saúde (OMS), por ter eliminado a transmissão do vírus HIV e da sífilis de mãe para filho. Roberto Morales, ministro de Saúde Pública de Cuba, disse: "Tudo foi possível por nosso sistema social e pela vontade política desde o mais alto nível. Isso permitiu que um país com poucos recursos tenha feito estas conquistas." Ele atribuiu este marco ao sistema de saúde estabelecido após o triunfo da revolução cubana há mais de meio século, um sistema que definiu como "gratuito, acessível, regionalizado e integral".