sábado, 23 de maio de 2015

Jorge Solla defende tributação das grandes fortunas

O deputado federal Jorge Solla (PT-BA) defendeu a aprovação da lei que regulamenta a tributação das grandes fortunas. Proposta histórica defendida pelo PT, a tributação de grandes fortunas é o único dos sete impostos federais previstos na Constituição ainda sem regulamentação. “É o único dos sete tributos previstos na Constituição de 1988, sem regulamentação até hoje e, com isso, não é aplicado. Não adianta fazer mais proselitismo, querer colocar na taxação de grandes fortunas a pecha de uma pauta comunista. Afinal, em países como França, Noruega, Suíça, Índia e Estados Unidos, as heranças já são tributadas”, afirmou o petista. Solla lembrou que a discussão sobre o tema já é feita na maioria dos países: “O princípio é muito simples, todo mundo sabe o velho ditado: dinheiro faz dinheiro. E isso é verdade. O problema é que os donos das grandes riquezas nada precisam fazer com suas fortunas para crescer mais rápido do que o resto da economia, mais rápido do que o salário dos trabalhadores e do que o PIB, de uma forma geral. É isso o que tem acontecido hoje em todo o mundo e, mais recentemente, torna-se mais grave no Brasil com as dificuldades econômicas existentes”, explicou Solla. Para o deputado petista,  a taxação das grandes fortunas pode fazer que o crescimento das fortunas aconteça na mesma velocidade do crescimento da renda do resto da população. Na avaliação do deputado Jorge Solla, é necessário que o Parlamento discuta este tema com a maior celeridade possível. “Vivemos num País muito desigual. Precisamos reequilibrar essa equação. Neste momento o ajuste não pode ficar no colo do trabalhador. Vamos debater essa regulamentação. Quem for contra venha para o debate, vamos confrontar as ideias. Vamos cumprir uma tarefa que a Constituição nos atribuiu e que há 27 anos o Parlamento está devendo à população brasileira”, finalizou o parlamentar.

A outra face
Lula tem uma capacidade imensa de derrubar quem tenta derrubá-lo. O mais recente exemplo está na pesquisa que detectou uma queda de 35% no Ibope da Rede Globo de 2005, ano do mensalão, até agora. Ou seja, Lula é parecido com a massa de bolo com fermento que, “quanto mais apanha mais cresce” e agora surge esta novidade. Quem tenta derrubá-lo, cai, como a Globo em seu Ibope; o mesmo vem acontecendo com a veja, a Época, a Folha de S.Paulo, com registro de quedas violentas nas suas tiragens e assinaturas e o Estadão, que, além da queda da tiragem teve que vender recentemente a sua emissora de rádio para o pastor R. R. Soares. 

Porto Alegre esquerdíssima
A deputada estadual Manuela D’Ávila (PCdoB) e a ex-presidenciável Luciana Genro (PSOL) aparecem nos dois primeiros lugares na preferência do eleitorado, com 19,24% e 11,4% das intenções de voto, respectivamente. O terceiro lugar é do PDT, partido que está associado à imagem de Leonel Brizola e o quarto lugar com a deputada Maria do Rosário, do PT. Quer dizer, a direita ganhou o Governo do Estado, com o PMDB, mas os gaúchos da capital parecem muito arrependidos. DEM e PSDB não batem nem nos bicos...

Ciro detona de novo
Ciro Gomes detona de novo, a exemplo do que já fez dezenas de vezes e do irmão que disse ter no Congresso Nacional mais de 300 achacadores. Ele afirmou que Brasília está “dominada por uma coalizão de gatunos e incompetentes”, com exceção da presidenta Dilma Rousseff, que considera “honrada” e com “espírito público”. Sobre o Congresso Nacional, Ciro disse que há “ladrões convocando CPIs e bandidos acusando gente séria de ser bandido”. Pode-se questionar a lisura dos Ferreira Gomes, mas não se pode questionar as suas afirmações.