terça-feira, 12 de maio de 2015

Loucura ou lucidez?

Será que o mundo enlouqueceu agora ou o PT estava mais do que lúcido quando estabeleceu uma política externa diferenciada da que manda o Pentágono? Agora, Cuba vira menina dos olhos do mundo desenvolvido. Obama corre atrás do reatamento das relações diplomáticas com o país duramente perseguido pelo Tio Sam durante cinco décadas, o presidente Holandée deixou a deliciosa Paris para ir até Cuba apertar a mão de Fidel Castro, um museu vivo da história pós-moderna; o papa Francisco recebe o presidente cubano Raúl Castro... A África desperta interesse das potências mundiais e de potência emergentes tal como os países do Leste Europeu, que retomam o poderio econômico como a Rússia, mas também atrai investimentos asiáticos. Descobriram que Lula quando foi procurar o continente dilacerado estava mirando um mercado de um bilhão de habitantes, um manancial inestimável de recursos naturais a serem lapidados e vendidos por muitas montanhas de dinheiro. Sentiram o cheiro, a ficha caiu e foram para lá também, antes que Brasil, Rússia, Índia e China tomam conta de tudo e passam  a exercer um poder imperialista fortíssimo, mesmo que não se porte com os erros do imperialismo dominador  e espoliador. É um novo tipo de relação, onde o forte são a parceria e a solidariedade. Como se não bastasse, ainda tivemos os Estados Unidos fazendo um acordo nuclear com o Irã, provando que Lula tinha razão. E olha que o acordo ora conseguido ficou abaixo do que Lula propôs há cinco ou seis anos. Os Estados Unidos também estão procurando uma regra de convivência melhor com a Venezuela bolivariana. E todo mundo reconhece que o Mercosul, mesmo sendo um bloco de PIB pequeno em relação aos outros, tem uma importância fundamental para o continente. De modo que a política externa do PT estava corretíssima. E que as páginas e páginas das revistas e jornalões do PIG o que têm a mostrar em seu histórico de ódio na pregação da subserviência aos ditames do Tio Sam, tudo virou lixo e não merece ir para o arquivo, a não ser como registro de um tempo de loucuras recheadas de maldades daqueles que inventaram o factoide do “Eixo do Mal”.

Emancipação
Serra do Mel completa hoje 27 anos de emancipação política. Em 13 de maio de 1988, tornou-se independente de Mossoró, Assú, Carnaubais e Areia Branca. 

Falta gestão
Infelizmente, ainda não teve a sorte de uma administração à altura das suas potencialidades. É o município com menor índice de pobreza rural do Nordeste e tem uma mortalidade infantil tão baixa que é capaz de fazer inveja à Suécia, mas isso não decorre das gestões municipais e sim do modelo agrário do município, que funciona como se fosse a Serra do Mel, o único município brasileiro a já ter feito a reforma agrária.

Em Brasília
Henrique Eduardo, candidato derrotado na última eleição de governador do Rio Grande do Norte, está recebendo Robinson Faria, candidato vitorioso. Um gesto digno, democrático e inteligente. Até porque Robinson, além de representar uma unidade da Federação, é da base do governo Dilma que fez Henrique ministro. E o Estado que Robinson representa tem o turismo como uma das principais fontes de renda e emprego.

FotoLegenda
 Hoje, às 9h, com programação que se estenderá até as 13h, grande reunião sobre o plano de recuperação dos cajueirais da Serra do Mel. Será na sede da Coopercaju, na vila Brasília, com a finalidade de debater a melhor forma de se preparar para iniciar a revitalização da cajucultura da Serra do Mel. Cerca de um milhão de cajueiros mortos nos últimos três anos e uma previsão de safra equivalente a apenas 10% de uma safra normal que gira entre 8 e 10 milhões de quilos de castanha. A Serra do mel precisa reestruturar a sua combalida economia. O evento é promovido pelo Governo do Estado, através da Emater e da Secretaria de Agricultura, com parceria da Federação das Associações de Vilas da Serra do Mel (FAVIMEL), da Coopercaju e da Fetarn. Várias instituições, como Sebrae, Seara, Emparn, Embrapa, Fapern, Banco do Nordeste, Banco do Brasil, Setas, através do programa RN Sustentável, associações de vilas e a Prefeitura da Serra do Mel, se farão presentes. Pelo menos três secretários de Estado estarão no evento: o secretário de Agricultura, Haroldo Abuana Osório (foto), o secretário da Reforma Agrária, Raimundo Costa, e o presidente da Emater, César Oliveira.