segunda-feira, 18 de maio de 2015

Revolta contra Dilma está perdendo fôlego

No último domingo, 17, tentaram a mobilização para mais um “grande ato” contra Dilma Rousseff, e, de leve, o tradicional pedido de intervenção militar. Teve direito até à presença do estúpido roqueiro decadente Lobão Bobão. Foi um grande fiasco. Os mais realistas falam de 20 pessoas na Avenida Paulista, os mais eufóricos falam de cinquenta gatos pingados, com direito a discurso do roqueiro da barba de bode detonando Fernando Henrique por entender que ele é responsável por não ter o impeachment de Dilma. Enquanto isso, o site 247 traz entrevista com o sociólogo Chico de Oliveira, um ex-petista, que tem postura crítica contra o partido desde quando Lula assumiu a presidência pela primeira vez e não lhe deu nenhum cargo. Chico de Oliveira, que é muito respeitado em suas análises, avalia que os protestos contra a presidente Dilma Rousseff têm fôlego curto, assim como as tentativas de desestabilização política; "A discussão do impeachment não vai para frente. Renan Calheiros e Eduardo Cunha são fracos. Se fosse com Ulysses Guimarães, Dilma estaria dançando miudinho". Oliveira também avalia que a direita não pode ser superestimada; "A direita existe mais na imprensa do que no movimento real de setores da população. A sociedade brasileira é diversificada e não comporta direita extremada". Quanto aos tucanos, ele diz: "Não me preocupo porque os tucanos não são populares. Não conseguirão galvanizar essa tentativa de desestabilização com apoio popular. Os tucanos sempre evitam recorrer às ruas. Panelaço não é o povo quem faz. Esse tipo de movimento não tem continuidade." Acrescenta que “Quando o jogo for pesado, Lula vai ter que se realinhar. De forma até radical, o que não é do estilo dele. Ou volta a fazer política de forma mais contundente e consistente ou se prepara para entregar o queijo para os tucanos”. Ele afirma, ainda, que o PT não deve ser considerado carta fora do baralho, em 2018, em razão do fator Lula. "Lula vai ter que ser mais partidário e retomar a militância política. Vai precisar dar apoio a Dilma para que o mandato não tenha um desenlace que caia em cima dele. Se houver um desastre e o PT for desalojado do poder, as burguesias nunca mais se esquecerão disso. Vão tentar manter o PT afastado." Oliveira diz, ainda, que, de uma forma ou de outra, o Brasil caminhará para ser uma sociedade mais igualitária. "Nenhuma sociedade aguenta o nível de desigualdade que se produziu."

Eólica
O Brasil atinge a condição de maior produtor de energia eólica do mundo. Internamente, o campeão brasileiro é o Rio Grande do Norte.

Quebradeira
Onde o PSDB governa, deixa o Estado quebrado. FHC quebrou o Brasil três vezes. Minas, Paraná e São Paulo estão falidos. E ainda tem quem queira a volta deles para o comando do País.

Boicote
A militância do PT boicotou a Rede Globo de Televisão no dia 15 de março e ela registrou a pior audiência de toda a sua história. Entendo que o boicote deve ser permanente, pois é puro masoquismo para um petista assistir à Globo.

Voto
Ouvi domingo, no café da manhã no restaurante de Toinho de Bahia, um cidadão do povo, dizendo: Jurei a mim mesmo que nunca mais votaria em ninguém, mas se Lula for candidato em 2018, eu quebro a promessa.

FotoLegenda
Lançamento do projeto Nas Ondas da Leitura, em Grossos. Pátio da Prefeitura cheio de professores, alunos e pais. Alunos da Rede Municipal de Ensino de Grossos receberão kits de leitura com mochila e seis livros literários. Professores receberão capacitações para atuar como mediadores de leitura. Na foto, na carreta palco da Editora IMEPH, este colunista que é autor da referida editora, o brincante Ricardo França Buhiú, que ao lado de Genildo Costa e o poeta Antonio Francisco animaram o evento, o vereador Afrânio Pereira, o secretário chefe do gabinete Civil João Dehon, a brincante Demmy e o prefeito José Maurício Filho, Mauricinho. Marcaram presença também o ex-secretário de educação marcos bezerra que não é mais secretário, mas vai coordenar o projeto com toda a sua experiência e a nova secretária de educação, Daniella Marsal. Sucesso.