quinta-feira, 26 de junho de 2014

Henrique em queda livre

A Rádio Cidade (94FM) de Natal divulgou ontem pela manhã com forte repercussão na mídia e nas redes sociais do Rio Grande do Norte, mais uma pesquisa sobre a sucessão estadual. A pesquisa é da lavra do Instituto GPP Planejamento e Pesquisa e captou as intenções de voto dos eleitores potiguares. Na estimulada, apontou um empate técnico entre Henrique Alves, pré-candidato do PMDB e, Robinson Faria, o pré-candidato do PSD. Depois de duas pesquisas, mesmo que outros institutos, portanto realizadas sob outras metodologias, em que Henrique aparece com 18 pontos numa e com 10 pontos na outra, de vantagem sobre Robinson Faria, agora traz números devastadores para as pretensões de Henrique. 28% das intenções de votos, contra 26,9% de Robinson Faria, uma vantagem mirrada de 1,1%, que matematicamente pode ser arredondada para 1% perante uma margem de largos 4%, para mais ou para menos.  O instituto GPP realizou 600 entrevistas, entre os dias 20 e 23 de junho. A metodologia da pesquisa é do tipo quantitativa, através de levantamento estatístico por amostragem estratificada. Foram pesquisadas todas as regiões do estado. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o número RN-0003/2014.Em relação aos demais pré-candidatos que puseram seus nomes à disposição do eleitorado potiguar, o pré-candidato do PSOL a governador, Robério Paulino, teria 2,1% dos votos se a eleição fosse hoje. Já a pré-candidata do PSTU, Simone Dutra, teria 1,3% dos votos. O pré-candidato do PSL, Araken Farias, teria 0,3% dos votos. Brancos e nulos somaram 26%. Não sabe ou não respondeu, 15,4%. A performance de Henrique não poderia ser pior.

Tarcísio Gurgel
Gustavo Rosado, secretário de Cultura de Mossoró, responde gentilmente a este humilde escriba sobre a minha estranheza expressa nesta coluna quanto à omissão do nome do dramaturgo Tarcísio Gurgel na propaganda radiofônica do espetáculo Chuva de Balas. Com a palavra Gustavo: “Caro Crispiniano, gostaria de informar, somente a título de esclarecimento, que todas as noites antes de iniciar o espetáculo Chuva de Bala no País de Mossoró, é creditada ao dramaturgo Tarcísio Gurgel a autoria do texto da peça e que o pagamento dos direitos autorais, que lhe são de direito, já foi efetuado durante a primeira semana das apresentações deste ano. Atenciosamente, Gustavo Rosado, secretário municipal da Cultura”. Ok. Está esclarecido o respeito aos direitos autorais, mas ainda acho que na propaganda deveria constar o nome do autor da peça.

Desistindo
Ontem rolou forte o comentário de que Henrique Alves poderá jogar a toalha na sua luta para ser candidato a governador. As três pesquisas que foram divulgadas nas últimas três semanas bateram muito forte na sua autoestima e mais ainda nas suas estimativas. Na primeira, tinha 18 pontos de maioria sobre Robinson Faria, na segunda, a vantagem caia para dez pontos percentuais e na de ontem, a maioria ficou achatada em um ponto com margem de erro de quatro pontos. Mais grave ainda são as tendências das preferências do eleitorado, sendo a de Robinson de alta ou mesmo de estabilização, mas a de Henrique sendo de queda livre.

To be or not
Além do mais, comenta-se que Henrique não consegue sair de uma conversa de pedido de apoio sem ter que tomar um comprimido para a pressão arterial, os chutes que os prefeitos e vereadores estão dando no bolso, são nocauteantes. Não creio que ele vá desistir, mas não tenho muita certeza se ele irá resistir. Henrique ser ou não ser... Eis a questão.

Betinho Rosado
Fechada a aliança do partido de Betinho com a coligação liderada pela chapa Robinson governador/ Fátima Bezerra senadora, o deputado mossoroense pode deitar na rede e esperar abrir as urnas para correr pro abraço. Pelos cálculos que vínhamos fazendo, o segundo nome da coligação, depois de Fábio Faria que disputará a condição de campeão de votos, poderia ser eleito com uma votação abaixo de cinquenta mil sufrágios. Na pior da pior das hipóteses, não tem perigo de Betinho sair de uma campanha com menos de oitenta mil votos. Creio que tem eleição tranquila, mas jamais pode se esperar dele, acomodação. Como acho difícil o clã Rosado eleger três deputados federais, Sandra tem um esquema consolidado e Betinho está numa situação confortável, acredito que a ex-prefeita Fafá Rosado tem uma eleição bastante difícil. Não mais difícil, porém, que a eleição do seu marido, o improdutivo deputado Leonardo da Vinci, à Assembleia Legislativa sem a estrutura da prefeitura despejando redbull nas suas urnas.