quarta-feira, 25 de junho de 2014

Pesquisa, promessas e ex-votos...

AA pesquisa que saiu ontem mostrando Henrique com 10% sobre Robinson Faria, mas com um índice de rejeição muito elevado, deve ser inquietante para o filho de Aluísio. Mais grave ainda é o fato de Wilma de Faria estar com apenas um ponto na frente de Fátima Bezerra. Mais grave ainda é saber-se que Wilma vem descendo e Fátima vai subindo. Um empate técnico com vantagens mil para Fátima. Como modestamente previ Wilma não levará Henrique pra cima, mas Henrique empurrará Wilma pra baixo. Quem viver, verá. A imagem de Henrique comprando todo mundo está desgastando demais o governadorável. Ninguém, ou, para não ser injusto com algumas pessoas sérias que o acompanham, quase ninguém, chega perto de Henrique sem pensar em dólares que pensam que hão de vir da Suíça, ou em dinheiro que circula em malas de carros em Brasília. Depois de comprar deputados, senadores e alguns outros candidatos com quem formará chapa, Henrique tem que comprar prefeitos, depois de comprar prefeitos tem que comprar vereadores, depois de comprar vereadores tem que comprar lideranças comunitárias, depois de comprar lideranças comunitárias, tem que comprar chefes de famílias com boa quantidade de votos, depois de comprar famílias terá que comprar eleitores a granel. É aquilo que se viu na campanha de Mossoró e na de Fortaleza, em 2012. A compra no “Atacadão”, depois a compra no “atacado”, depois a compra no “varejo”, depois a compra no “queima”, chegando até à boca da urna com as “gorjetas de fim de feira”, até o eleitor que se comporta como naquela anedota do colírio... Uma candidatura que se constrói assim, não pode ter vida longa. Henrique passou quarenta anos sendo conhecido como “Deputado Copa do Mundo” que só aparecia de quatro em quatro anos, para herdar uma votação do pai e depois que começou a escassear este manancial passou a comprar a “intera”. Nos últimos quatro anos danou-se a se aproveitar do prestígio que o PT nacional lhe conferiu e passou a prometer mundos e fundos, como se a caneta de Dilma estivesse em suas mãos. Nem as duas assunções à presidência lhe deram condições de cumprir sequer 1%  do vendaval de promessas ao vento, tão volumosas que seriam capazes de fazer inveja às paróquias de Juazeiro do Norte, São Francisco do Canindé e no santuário de Aparecida, juntas. As promessas não se materializaram e com a frustração seu manancial se transformou num amontoado sem fim, de ex-votos. Literalmente. Por isto quando me perguntam se Robinson vai ganhar a eleição para Henrique, respondo que não sei, mas sei que Henrique perderá... Como diria Canindé Queiroz: “Aguardemos, pois”.

Absurdo
Há quase um mês escuto a propaganda do espetáculo Chuva de Balas no País de Mossoró e não escuto falar no nome do autor da peça, o dramaturgo Tarcísio Gurgel. Uma falta de respeito sem limites. Na verdade, um crime contra os direitos autorais. Tarcísio não merece isto. Cultura não se faz assim. O secretário Gustavo, que é do ramo, deveria passar o olho neste assunto.

Chiquinho
Fiquei feliz de saber que Chiquinho Windows está à frente da direção do Teatro Dix-huit Rosado. Uma vida inteira dedicada à arte teatral em Mossoró, desde os tempos do Caiçara, quando a cidade não dispunha de nenhuma casa de espetáculos há 90 anos. Chiquinho é um nome queridíssimo no meio artístico e de uma dedicação sem limites. Parabenizo.

Cheques
E os cheques institucionais voadores? Será que entraram na negociata que revirou pelo avesso a política mossoroense nas últimas horas? Já que se trata de cheques, é bom checar...

FotoLegenda
O cantor e compositor potiguar Xavier Araújo lança amanhã, 27, o seu novo CD, “Forrozão da Nossa Terra”. O show será no palco principal do Mossoró Cidade Junina na Estação das Artes Elizeu Ventania, em noite que terá ainda Amazan, Bell Marques, ex-Chiclete com Banana, e Forró dos 3. O CD “Forrozão da Nossa Terra” é uma seleção de músicas inéditas, composições do próprio cantor, e traz ainda uma homenagem ao rei do baião Luis Gonzaga na faixa “Terra, vida e esperança”. Em seu sexto álbum, Xavier Araújo faz do forró pé de serra uma declaração de amor na música “Pra te pedir perdão”, que já caiu no gosto dos mossoroenses e está sendo executada em todas as rádios da cidade. Vamos lá prestigiar esse cabra danado de bom, que é o grande Xavier Araújo, gente da melhor qualidade e artista de primeira.