sexta-feira, 27 de junho de 2014

Henrique ser... ou não ser!

Setenta e cinco por cento dos potiguares ainda não sabem em quem deverão votar para governador. Na pesquisa anunciada ontem, deveria ter sido feita uma pergunta sobre o grau de conhecimento em relação aos pré-candidatos. Henrique Eduardo Alves está presente na vida mossoroense desde que nasceu, pois era, como continua sendo, o filho de Aluísio Alves, político de proa e que fez de Mossoró um campo de batalha num acirrado contraponto com a oligarquia Rosado. Robinson é quase um desconhecido em Mossoró e região, mesmo tendo vindo com mais frequência aqui nos últimos dois anos. Participou com certa frequência da campanha de Silveira Júnior, na eleição suplementar de maio, mas sua projeção não foi tanta porque a campanha foi muito curta e não se pode falar de “influências de padrinhos políticos” naquela eleição, pois se assim fosse, o voto nulo, pedido de última hora pelo rosalbismo, teria tido um efeito mais poderoso. O que se sente é que com o amiudar das ações do processo eleitoral Robinson crescerá muito ocupando a margem que lhe cabe por representar um projeto de Rio Grande do Norte diferente do de chamado acordão, e, mais ainda, por ter um amplo espaço para quem quer que seja adversário de Henrique, de Sandra e de Fafá, o que não é pouco em Mossoró. Robinson contará com a simpatia do rosalbismo por ter Betinho no palanque e por ter um sentimento de revanche e de vingança contra as traições de José Agripino a Rosalba e Betinho, e de Henrique a Cláudia Regina e Wellington Filho, seus candidatos em outubro, trocados em maio por Larissa e Alex Moacir. Além do que, em favor de Robinson tem o prefeito Silveira Júnior, com a estrutura da prefeitura que provou ser a grande força política de Mossoró derrotando Larissa com Silveira da mesma forma que fez com Cláudia, com Fafá e outras candidaturas do “larissandrismo”, com Rosalba.

Copa
3,6 bilhões de telespectadores assistem aos jogos da Copa do Mundo. Será que isso também dá prejuízo ao Brasil? Com a palavra os coxinhas imbecilizados a serviço do PSDB.

Produtos orgânicos
Ontem, ouvi na Voz do Brasil notícia sobre o sucesso dos produtos orgânicos da agricultura familiar nos quiosques da Copa do Mundo. As castanhas da Serra do Mel, de cujo processo de beneficiamento tive a honra de participar no comecinho, estão lá nos quiosques de Natal, Fortaleza e Rio de Janeiro. É a Coopercaju, cooperativa de beneficiadores artesanais de castanha de caju do RN, da qual já fui gerente e presidente que está presente. A Copa serve para muita coisa boa. E ainda tem quem seja contra. Mas os engraçadinhos do movimento #nãovaitercopa já estão com o rabo entre as pernas.

Comparando
Palavras da presidenta Dilma Rousseff: “Nós levamos 42 milhões de pessoas à classe média. 42 milhões de pessoas é a população da Argentina. Nós tiramos uma Argentina da pobreza."

FotoLegenda
Pegando carona no Facebook do colega Cezar Alves, divulgo fotografia do ovo gigante encontrado ontem no Lajedo Soledade, em Apodi. O agricultor Josenias Freitas, de 38 anos, encontrou o referido ovo medindo 14cm e pesando 800 gramas. Será que os dinossauros estão voltando ou tem alguma criação de avestruz na área?