terça-feira, 28 de outubro de 2014

Mídia imparcial? Dilma 702 manchetes negativas, Aécio 56

Está na internet e eu assino embaixo: Ao longo da campanha, falamos algumas vezes sobre o Manchetômetro. A ferramenta criada pelo Lemep - Laboratório de Estudos de Mídia e Esfera Pública da Universidade Estadual do Rio de Janeiro veio para explicitar o quanto a mídia é parcial no Brasil: ao longo da corrida eleitoral, Dilma Rousseff foi criticada 12,5 vezes mais que Aécio Neves. Foram 702 manchetes negativas para a nossa presidenta reeleita, enquanto Aécio registrou apenas 56. Na última semana, antes da votação do segundo turno, quando a imprensa tentou a todo custo desestabilizar a candidatura de Dilma, publicando acusações mentirosas e mostrando nenhum compromisso com a verdade e com a democracia, foram em média três notícias negativas diárias para Dilma e menos de uma para Aécio. A média dos jornalões, em determinado momento da campanha, era de criticar Dilma 14 vezes antes de tecer um único comentário negativo dirigido a Aécio Neves. Ao longo de uma semana, o Jornal Nacional teve 16 reportagens negativas para Dilma e apenas uma para Aécio. Nem mesmo a falta de água em São Paulo, gerada pela má gestão tucana no estado, parece ser pauta para a mídia. Os escândalos ligados ao PSDB apareceram, durante a campanha do segundo turno, 50 vezes nos jornais; os ligados ao PT, 122 vezes, mais que o dobro. Tamanha parcialidade da mídia tradicional prejudica o processo democrático, ainda mais quando as grandes redes de comunicação se escondem sob um manto de imparcialidade. Agora, com todos esses números escancarados pelo Manchetômetro, a regulação dos meios de comunicação se coloca como uma pauta urgente para o segundo mandato de Dilma, em nome da defesa da democracia. Cá da minha banda, não abrigo a mínima dúvida de que as poucas manchetes e matérias contrárias a Aécio aconteceram única e exclusivamente para ludibriar a legislação eleitoral, fazendo de conta que estava respeitando a legislação.

Ciência e fé
Segundo o Papa Francisco: Deus não é mago e a Teoria da Evolução é verdadeira. Como já falei aqui outra vez, este papa, passo a passo, vai conquistando meu modesto respeito.

Lambança
Olha a lambança. A tal CPMI mista da Petrobras já suspendeu o depoimento do doleiro Yussef. Claro. Não tem terceiro turno. Era só marketing.

Maracutaia
O site Uol deixou escapar uma entrevista com Aécio Neves, já como presidente eleito, gravada antes da eleição; Carlos Montenegro, dono do Ibope, ligou para Fernando Henrique Cardoso dizendo que podia comemorar, pois Aécio estava eleito; Ele se largou para Minas Gerais. Sempre tivemos fusos horários diferentes entre Brasília e Acre, mas esta foi a primeira vez que deram um longo espaço de tempo de três horas para começar a anunciar os resultados das votações presidenciais; Estes e tantos outros sintomas de maracutaia inspiram e exigem uma leitura mais apurada.

FotoLegenda
Alguém acredita na Justiça italiana. Parece que temos motivos para tanto. É a justiça que desmontou a máfia e pôs nas grades Silvio Berlusconi, um bilionário empresário e político, presidente do Conselho de Ministros da Itália, ou seja, autoridade máxima do País, por dez anos. Pois bem. Foi ela, a Justiça italiana que julgou um ítalo/brasileiro acusado de “mensaleiro” e o absolveu. E ainda negou o pedido de extradição. Bom... Não tenho dúvidas que algum idiota vai dizer que o PT comprou a Justiça italiana. Mas aí é caso “São Camilo”. Mas devido à política de desospitalização na Psiquiatria, aquele histórico está fechado. Só nos resta conviver com essa qualidade de gente que mesmo não sendo louca, tem muitos parafusos frouxos, principalmente os do caráter, porque os chamados loucos mesmo são gente da melhor qualidade.