sexta-feira, 31 de outubro de 2014

O Brasil atrasado dos Maias e dos Neves

José Agripino, em um dos seus mais irresponsáveis e “porraloucas” dos seus quase sempre inconseqüentes depoimentos, afirmou que Aécio ganhou no “Brasil moderno e que produz”. A afirmativa, ao positivar o Sul e São Paulo como o Brasil moderno e produtivo, traz em si uma negativa em relação ao Nordeste, Norte, Minas Gerais e Rio de Janeiro, onde Dilma ganhou. Desqualifica estas regiões, quanto à modernidade e à capacidade produtiva, o que implica em capacidade e coragem de trabalho do nosso povo. Do dizer de Agripino depreende-se que estas regiões são atrasadas e improdutivas. Ou seja, o nordestino, além de atrasado, é preguiçoso e incompetente. Esse é o texto que Agripino, não falou, mas disse. Porém... Esqueceu-se Agripino que, além da região Norte, onde as vitórias de Dilma e Aécio foram divididas, com uns Estados para um e outros Estados para a outra, foi o Nordeste que fechou questão, dando vitória em todos os Estados a Dilma Rousseff, e, em Minas Gerais, dos 835 municípios do Estado, Aécio perdeu em 608, sendo que em vários deles por mais de 80%. Diga-se de passagem que na capital e no Triângulo Mineiro, regiões mais ricas do Estado, Aécio perdeu feio. O discurso de José Agripino exige também uma leitura sobre a competência dele, da família oligárquica a que pertence a ao próprio Aécio Neves. Comecemos por Minas Gerais, onde Aécio sofreu uma derrota acachapante. Trata-se de um Estado que sempre teve grande peso na economia e na política nacional. E que nas últimas décadas, desde o fim da ditadura, vem sendo governado por políticos apoiados por Aécio, como o seu avô Tancredo, Nilton Cardoso, Hélio Garcia, Itamar Franco, o próprio Aécio e o seu pimpolho, Anastasia. Portanto, se Minas é um atrasado, debite-se ao próprio aecismo. Na banda de cá, temos um Rio Grande do Norte que foi governado pelo próprio, por oito anos, pelo seu pai e seu primo Lavoisier por dez anos, por sua ex-parente Vilma por oito anos e por seu correligionário Garibaldi e Geraldo Melo por mais doze anos, a vizinha Paraíba vem da tradição de ser governada por seu tio João Agripino Maia e seus sucessores, com toda a força que ele tinha na ditadura como ministro por duas vezes. Quanto ao Rio de Janeiro, sofreu a liderança do seu primo de Catolé do Rocha, César Maia. E lá pelo Norte também tem uns Maias metidos na política, sem nada digno de nota que tenham feito em prol do modernismo político e econômico. 

Congresso em Foco
Não bastassem todas essas informações, ainda temos a afirmação de um cientista político dando conta de que Aécio Neves só perdeu a eleição por força da internet. Que eu saiba a interne é um símbolo da modernidade e da liberdade de expressão.

Regulação
A rainha Elizabeth II sancionou na quarta-feira, 29, um sistema de regulação da mídia, na Inglaterra. O próprio jornal O Globo noticiou, mas não se arriscou a dizer que a Inglaterra é uma “ditadura bolivariana”.

Cuba
A embaixadora dos Estados Unidos nas Nações Unidas, Samantha Power, elogiou nesta sexta-feira (31) a contribuição feita por Cuba na luta contra o ebola na África Ocidental e assegurou que seu país está muito agradecido. “Embora não os tenha encontrado pessoalmente, tenho que elogiar Cuba por enviar 265 profissionais médicos”, declarou Power em um ato organizado em Nova York pela agência de notícias britânica Reuters. Bom... Quem sou eu para duvidar?

Robinson lá
O governador eleito vai ser recebido pela presidenta Dilma Rousseff na próxima quarta-feira (5)... E Henrique não vivia dizendo que só ele tinha acesso? Petulância tem pernas curtas.