sábado, 18 de abril de 2015

A verdade os trancafiará

Pois sim. Querem combater a corrupção no Brasil. Que bom. Quero crer que seja verdade, porém... Todo dia vejo compradores e vendedores de diplomas detonando com muita sapiência, um líder que não alisou bancos de faculdades, como se Cristo e Tiradentes não fossem dois “Sem diplomas”; Encontro a bater de varas, falsificadores de carteira de estudante para usufruir da meia-entrada ou de carteira de idoso para ter “catraca livre”, bem como invasores de vagas de estacionamento para idosos e deficientes e criadores de “gatos” de energia e água, puxadores de gambiarras de TV a Cabo e usurpadores de direitos autorais afirmando com a maior das convicções que tem que acabar com tanta desonestidade, neste “País vagabundo...” Trombo, nos poucos ambientes chiques que me são dados entrar pisando de lado, com sonegadores contumazes e diários de milhões em impostos, taxas, emolumentos e laudêmios; Dão-me notícias de fraudadores de merenda escolar, fabricantes de pílulas de farinha de trigo, vendedores de notas fiscais frias, adulteradores de gasolina e gente de roupa alvejada a Omo e alma suja de ódio e lama, que trabalha em dez PSFs, batendo ponto com dedo de silicone e que querem manter o branqueamento histórico, limpando a “classe” do negror de médicas estrangeiras que têm caras de empregadas domésticas... Que horror para estes que têm muito mais de hipócritas que de Hipócrates, alguém cuidar da saúde do povo sem pensar em enriquecimento. Ainda por cima, essas “terroristas” entendem de amor e dor, com especialidade essa dor da gente, que não sai no jornal. E, o que é mais grave, não ligam muito pra dinheiro, como se escravas fossem; Vejo vendedores de remédios de programas de gratuidade e até vendem órgãos humanos pré-datados para serem colhidos em cirurgias eletivas e reclamam dos órgãos públicos doentios de burocracia. E dou de cara com agiotas que prendem cartões de viúvas sem porvir, mas quando estão nas filas dos bancos sugando o sangue geriátrico, gritam a plenos pulmões que odeiam esse governo que encheu os bancos de gente fedida atrapalhando as filas... Cruzo nas ruas da vida com pedófilos e cafetãs que vivem "à sombra das raparigas em flor", mas exigem que a maioridade penal seja reduzida até acabar, por fim com a famigerada Lei do Ventre Livre; Escuto “glórias” e “aleluias”, às vezes em “línguas estranhas”, berrados por surrupiadores da "dracma perdida", vendendo Cristo à prestação, nos dízimos furtados de quem os dá, coitados, de boa-fé, na "bacia das almas penadas" em busca de comprar indulgências aos que vendem salvações, jurando em vão, o nome de Deus, como se tivessem papel timbrado nos mata-borrões das nuvens e procuração com firma reconhecida no cartório do céu; Vislumbro pelo rabo do olho, comerciantes que roubam nos pesos e nas medidas, além dos preços, empertigados empreendedores acima de qualquer suspeita, que colhem milhões em impostos na boca do caixa e não os recolhem à Receita Federal, traficantes de influências e de drogas que matam uma geração inteira à prestação, com a dose letal diária, em forma de fumaça ou pó, ou mandam matar à vista de todos, sabendo que nada hão de sofrer porque na grande cracolândia que se estende do Oiapoque ao Chuí, da Favela do Fio à Nova Betânia, alguns que recebem salários para combater esse tráfico o protegem a troco de um "bagulho" mais encorpado que a pecúnia da vergonha, transformando o soldos justos em saldos podres; Continuemos nas Notas Curtas:

Funcionários fantasmas
Escuto o grito de funcionários fantasmas que têm vencimentos reais expropriados ao povo em forma de falta de saúde e educação, salários da morte, tão injustos quanto gordos; E marajás, que já não aceitam propinas de 10% porque argumentam ser isso, mera gorjeta de garçom, e começam a espernear contra os 20% e dizem, sem sobroço de nada, aos corruptores que “se virem nos trinta...”;

Mensalões e mensalinhos
Constato políticos que recebem os mais diversos tipos de mensalões, contratantes de limpeza pública em cujos contratos a coisa mais limpa é o próprio lixo que se acumula nas ruas e superfaturadores de compras e vendas e subfaturadores de tributos negados diariamente, tanto a César quanto a Deus; Vejo em meio ao berreiro contra a corrupção, preenchedores de fichas falsas no Data-SUS, fazendo a triagem de usuários para consultórios privados; vendedores de fichas para cirurgias eletivas;

Escravidão
Encontro entre os que gritam contra a escravidão dos médicos cubanos, exploradores de trabalhadores em regime de semi-escravidão; estupradores de empregadas domésticas a quem não admitem pagar direitos elementares. Tenho visto gente desdentada, que não sabe ler uma carta nem escrever outra, que sabe comprar uma vaca branca e pintar-lhe manchas pretas com tinta de cabelo e vendê-la como “raciada” de holandesa.

Amigos do alheio
São muitos desses amigos do alheio, alheios aos sentimentos de ética e moral que estão nas ruas e nas redes sociais cobrando ética e moralização, enchendo a boca de "PT SÓ TEM BANDIDO". Tem até gente que vende a virgindade das filhas e a fidelidade das esposas em troca de um carguinho público, numa negociata que já se transformou na “putaria” das portarias... Essa cambada tem alguma moral para apontar alguém com os dedos sujos? Não vejo a hora de aparecerem esses nomes em operações as mais diversas, onde os seus "vacaris" hão de ir para o brejo e depois da riqueza inexplicável virá o próprio "delúbio", perdão, dilúvio e também há de exibir em fotos cabisbaixas, um par de pulseiras de prata para chamar "dirceu", digo, de seu.

Cachorros e seus rabos
Por mais que a mídia esconda os cachorros, seus rabos estão à mostra, às escâncaras. E chegará o dia em que aparecerão e serão execrados, em nome da verdade. Neste dia, de juízo e não apenas de juízes, pobres criaturas a quem resolveram chamar de "Coxinhas", conhecerão a verdade que a mídia esconde... E a verdade os trancafiará!!!